25 maio 2016

como-encarar-meus-medos

Você certamente já sentiu medo diversas vezes em sua vida e os guardou secretamente. Posso até sentir que alguns desses medos ainda o acompanha, mas você não fala sobre isso com ninguém. Não há vergonha em sentir medo, ter medo faz parte de sermos humanos: ele é a cautela para te proteger de perigos e o extinto para que você não faça mal a alguém. Então, quando se preocupar com o medo afinal?

Quando o medo te paralisa, te impede de fazer coisas que gostaria e de seguir o seu caminho, quer dizer que ele se tornou maior que você e está na hora de tomar uma atitude. Neste momento, não é hora de sentirmos vergonha, pois não existem medos grandes ou medos bobos, existe sim a importância que você dá pra ele em sua vida. O medo do escuro de uma criança de 3 anos não é mais banal do que o seu medo em não conseguir ter a carreira que deseja, o medo é proporcional aos nossos maiores anseios. Para vencê-lo, coloque como prioridade cada passo que terá que dar para alcançar o seu objetivo, escale o muro um passo de cada vez, quando perceber, já estará admirando a paisagem do outro lado.

frase-motivacional-sobre-medo

Ao enfrentar seu medo pela primeira vez, você ganhará mais força e confiança em si mesmo, tornando seu medo menor à medida que você o encara. Por fim, terá descoberto que aquele medo não te impressiona mais: como uma árvore que cresce e lá de cima vê suas folhas secas jogadas ao chão, você terá se sobreposto a ele. Deste momento em diante, você terá a certeza que o medo saudável é aquele friozinho na barriga que nos impulsiona a seguir em frente.



7 maio 2016

Vamos nos jogar?

Hello, mes enfants!

Tudo bem?

Eu poderia simplesmente retornar ao blog sem nenhuma justificativa pelo sumiço, mas acho que devo a vocês uma explicação, e pra ser sincera, vou me sentir muito melhor depois de tudo esclarecido.

O blog, há muito tempo, é o meu “grande” projeto, aquilo que quero mesmo fazer e seguir, mas sempre me assustei com o tamanho da dedicação pra isso dar certo. Não que eu queira que tudo seja extremamente fácil, mas pra eu me jogar de cabeça por aqui envolve muitas coisas, inclusive abrir mão de atividades que envolvem questões financeiras. Levo duas jornadas de trabalho, fora as outras atividades, e não conseguiria inserir mais uma terceira jornada nesse meio.

Acho que é até normal termos medo do novo, mas em situações que dependem somente de nós mesmos, o desconhecido sempre me assustou profundamente. Tenho medo de encarar a derrota, caso este seja o fim do caminho pelo qual escolhi. Porém, também me angustia continuar simplesmente caminhando no escuro e ver que nunca sequer tentei. “E se eu tivesse agido diferente há dois anos atrás?” “E seu eu já tivesse feito, como eu estaria agora?” São sempre as mesmas dúvidas que continuam a pairar sobre minha cabeça, a famosa pulguinha atrás da orelha.

Nessa jornada entre querer fazer e realmente tomar coragem de fato, me vi colocando a culpa em diversas questões, menos em mim mesma. Sabe quando a gente tem receio de abrir a janela e fica arranjando desculpas de que tá frio, tá claro, tá quente, tá escuro… enquanto era só levantar, caminhar até ali e se abrir pra um mundo novo? Criei obstáculos para me confortar: num dia determinava que retomaria o blog quando eu tivesse decorado o Atelier, porque queria lançar o canal no Youtube e precisava de um cenário legal pra isso; no outro dia definia que no início do próximo mês começaria a escrever posts frequentemente, porque na minha cabeça, eu já estaria mais “folgada”. E as datas iam passando sem eu nada mudar. Já tem quase DOIS ANOS que o blog está nesse endereço e com esse layout e só tem 10 posts, dá pra acreditar?!

Dessa vez decidi que vai ser diferente, pelo menos acho que consegui juntar coragem suficiente para assumir a minha parte na culpa. Fazer isso aqui funcionar só depende de mim, em deixar meus medos e receios para trás e seguir em frente. Se não der certo? Pelo menos vou dizer que eu tentei, e viverei bem com isso. Transformar o medo em impulso é a melhor troca que posso fazer por hoje.

Quer se jogar comigo?